Apex Brasil aponta Rússia como potencial mercado para frutas brasileiras
Estudo da Apex Brasil aponta Rússia como potencial mercado para frutas brasileiras

Estudo da Apex Brasil aponta Rússia como potencial mercado para frutas brasileiras

Uma pesquisa realizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) aponta a Rússia como potencial comprador de frutas brasileiras. Hoje o país importa mais de 70% das frutas que consome. O estudo também revela que o gosto do consumidor russo está mais aberto a frutas exóticas, o que abre oportunidades para frutas tropicais.

O documento registra que a qualidade da oferta de frutas frescas na Rússia caiu significativamente devido à reorganização das importações e à mudança de consumo para os produtos de preço mais baixo. Boa notícia para os produtores brasileiros, já que as empresas russas procuram fortalecer parcerias com países que não sejam membros da União Europeia. Além disso, as frutas daqui combinam alta qualidade e preços competitivos. Outro produto que tem espaço no mercado russo são as frutas congeladas, que podem ser consumidas durante todo o ano.

Segundo o relatório da Apex Brasil, a economia russa deverá iniciar sua recuperação em 2017, com a aceleração do crescimento seguindo um ritmo gradual, até atingir em torno de 1,4% ao ano em 2020. O consumo e o investimento privados provavelmente continuarão moderados devido a um crescimento vagaroso na renda real e à desalavancagem das famílias. Em todo caso, a Rússia ainda é um dos maiores mercados consumidores do mundo, com uma população de quase 150 milhões de pessoas em 2015. Isso, associado a um território fortemente impactado por condições climáticas severas, compõe um conjunto de fatores favoráveis à importação de alimentos básicos, inclusive frutas.

A logística da importação de frutas na Rússia

As importações diretas de frutas frescas chegam à Rússia por frete marítimo ou aéreo. A aprovação do tipo, preço e quantidade do produto leva cerca de uma semana, e o processo de envio do centro alfandegado ao centro de distribuição logística leva de 3 a 10 dias. Os procedimentos de desembaraço aduaneiro são acelerados por meio do serviço de agentes alfandegários. Os contêineres com frutas são entregues no centro de distribuição logística, onde a qualidade é avaliada, e então acontece a triagem e entrega aos pontos de venda.